Noites Antigas 4

Noites Antigas

Autor: Norman Mailer

Editora:  Publicações Europa-América

Data/Edição: 1983

Nºde Páginas: 427 págs. (1º volume); 339 págs. (2º volume)

Estado de Conservação: Usados

Observações: 2 volumes. Esgotado. Prémio Pulitzer

Preço: 18€

Catedral 16

Catedral

Autor: Raymond Carver

Editora: Quetzal

Data/Edição: 2010

Nºde Páginas: 235 págs.

Estado de Conservação: Novo

Preço: 12€

Observações: Esgotado no editor

Sem Penas 24

Sem Penas

Autor: Woody Allen

Editora: Bertrand

Data/Edição: 1987 (3ªedição)

Nºde Páginas: 174 págs.

Estado de Conservação: Usado. Com assinatura de posse.

Preço: 10€

Observações: Esgotado no editor

O Jogo da Vida 26

O Jogo da Vida

Autor: Sidney Sheldon

Editora: Livros do Brasil

Data/Edição: 1984

Nºde Páginas: 435 págs.

Estado de Conservação: Usado. Com assinatura de posse.

Preço: 15€

Observações: Esgotado no editor

Lolita 36

Lolita

Autor: Vladimir Nabokov

Editora: Europa-América

Data/Edição: 1974

Nºde Páginas: 328 págs

Estado de conservação: Usado

Preço: Edição antiga 7 €

Sinopse:

“A ninfeta não nasceu com a personagem de Nabokov. (…) No entanto, graças ao romance, perdeu o seu semblante vago e personificou-se, abandonou a sua clandestinidade nervosa e ganhou direito de cidadania. Humbert Humbert não é libertino nem sensual: é apenas obcecado. A sua história é escandalosa, antes de mais, porque ele a sente e apresenta assim, sublinhando, a cada passo, a sua ‘demência’ e ‘monstruosidade’ (palavras suas). É a consciência transgressora do protagonista que confere à sua aventura a índole malsã e moralmente inaceitável.(…)

Em Nabokov, tal como em Borges, tão afins no seu modo de entender a cultura e de praticar o ofício de escrever, a arte exímia que criaram não foi uma crítica do existente mas uma maneira de desencarnar a vida, de dissolvê-la num fulgurante espelhismo de abstracções.”

Mario Vargas Llosa in A verdade das mentiras

As Vinhas da Ira 38

As Vinhas da Ira

Autor: John Steinbeck

Editora: Círculo de Leitores

Data/Edição: 1973

Nºde Páginas: 525 págs

Estado de conservação: Usado, com assinatura de posse.

Preço: 7 €

Sinopse:

As Vinhas da ira relata a história de uma família pobre do estado de Oklahoma que, durante a Grande Depressão de 1929, se vê obrigada a abandonar as terras que ocupava havia décadas, em regime de meeiros, devido ao progresso traduzido pela compra de tractores e máquinas pelos donos dessas e de um novo regime de propriedade. O trabalho manual de aragem e plantação da terra tornaram-se obsoletos e foram obrigados a rumar em direcção à Califórnia:

“Assim modificavam a sua vida social – modificavam-na como só o homem em todo o Universo sabe fazê-lo. Deixara de haver lavradores fazendeiros; o que havia era homens que emigravam. E os pensamentos, os planos, os prolongados silêncios que, até então recaíam sobre o campo, mudavam-se agora para as estradas, para a distância, para o Oeste. O homem que antes pensava em acres, pensava agora em milhas. E os seus pensamentos e as suas preocupações já se não cingiam à chuva, ao vento, à poeira, à sua fé no resultado das colheitas…Os olhos vigiavam os pneus; os ouvidos escutavam os roncos dos motores e as suas preocupações concentravam-se em torno do óleo, da gasolina, da fina película de borracha que se ia gastando entre as rodas e o chão. Uma roda de engrenagem partida redundava em tragédia. A água, à noite, e a comida ao lume eram as únicas aspirações.”

NATIONAL BOOK AWARD

PRÉMIO PULITZER

PRÉMIO NOBEL 1962

PLANO NACIONAL DE LEITURA

A um Deus Desconhecido 40

A um Deus Desconhecido

Autor: John Steinbeck

Editora: Europa-América

Data/Edição: 1971

Nºde Páginas: 225 págs

Estado de conservação: Usado, com assinatura de posse

Preço: 5€

Sinopse:

“Joseph sentou-se ao lado de Juanito. ‘O meu pai morreu, Juanito.’

‘Sinto muito, meu amigo.’

‘Mas quero falar-te sobre isto, Juanito, porque és meu amigo. Por minha parte não tenho de que estar triste, porque o meu pai está aqui.’

‘Os mortos estão sempre connosco, señor. Nunca nos abandonam.’

‘Não’, disse Joseph com entusiasmo. ‘Mais do que isso. O meu pai está acolá, naquela árvore. É aquela árvore! É estupidez, mas eu quero acreditar nisto. Podes contar-me qualquer coisa, Juanito? Nasceste aqui. Desde que cheguei, desde o primeiro dia que aqui passei, que eu sabia que esta terra está cheia de fantasmas.’ Parou, indeciso. ‘Não, não é bem assim. Os fantasmas não passam de sombras fracas da realidade. O que aqui vive é mais real do que nós próprios. Nós é que somos fantasmas da realidade deles. Que será então isto, Juanito? Terei eu a cabeça mais fraca depois de dois meses de solidão?’”

PRÉMIO PULITZER DE FICÇÃO 1940

PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA 1962